Morando em uma casa ecologicamente correta

MD Networking

Marisa Fonseca Diniz

Bambu, madeira ecológica, telhado verde, tinta a base de água, fibra de vidro, cimento ecológico, concreto verde, entre outros são materiais sustentáveis utilizados na construção de edificações ecologicamente corretas. Empresas e profissionais que possuem consciência ecológica preferem utilizar materiais e recursos sustentáveis que colaboram na preservação do meio ambiente.

A educação sustentável é a chave que a abre o caminho das novas pesquisas e tecnologias empregadas no setor da construção civil em todo o mundo. Educar os mais jovens para ter a ciência de que, a preservação do meio ambiente nos dias de hoje poderão proporcionar um futuro muito mais sustentável às futuras gerações.

Aqui neste artigo decidi reunir algumas ideias de como construir uma casa sustentável com materiais, processos e recursos ecologicamente corretos.

Container sustentável: as empresas de comércio exterior ao redor do planeta mensalmente descartam containers por diversos motivos, e pensando na possibilidade de reaproveitamento…

Ver o post original 653 mais palavras

Aplicativos ‘antissociais’ ajudam internautas a proteger privacidade

TudoSobreTech

Aplicativo esconde sua posição para amigos do Foursquare e Instagram (Foto: Divulgação/Cloak) Aplicativo esconde sua posição para amigos do
Foursquare e Instagram (Foto: Divulgação/Cloak)

No que muitos veem como sinal de uma tendência em buscar mais privacidade na internet, desenvolvedores de software estão colocando no mercado aplicativos “antissociais” ou que ajudam pessoas a transmitir mensagens “secretas”.

O aplicativo Cloak (clique aqui), por exemplo, permite que você saiba a localização de pessoas que você conhece para poder evitá-las, segundo seus idealizadores. Os usuários podem optar por receber um alerta quando certas pessoas estão próximas.

Por enquanto, o aplicativo só utiliza dados de localização do Foursquare e do Instagram, por isso só é útil se você estiver seguindo as pessoas que está tentando evitar nestas duas redes.

Os desenvolvedores dizem que estão trabalhando para associar o aplicativo, que já teria sido baixado mais de 100 mil vezes, a outras redes sociais. “Nós criamos o aplicativo porque era algo que tinha que existir. Tínhamos que…

Ver o post original 226 mais palavras